terça-feira, 24 de setembro de 2013

Modernização na Fazenda Matão, Taquarituba- SP

Em 1963, o Osvaldo Castelucci comprou em Santa Bárbara do Oeste uma plantadeira de duas linhas, marca SANS. A caminhonete que a transportava estacionou em frente o Bar e Pensão do Alher, na Praça São Roque, provocando grande curiosidade. Atraiu uma multidão que foi vê-la enquanto que o motorista esperava a chegada do Osvaldo que estava na Fazenda Matão. 
Um falava que a plantadeira não funcionaria na terra roxa, outro falava que os "tocos" impediriam o plantio. Enfim, muitas crendices foram mencionadas neste dia, inclusive o dr.Jayme Gomes dizia que a terra roxa era muito "pesada" e que a máquina não  funcionaria. No dia seguinte ela foi levada à Fazenda Matão e após ser regulada foram plantados 12 hectares (5alqueires) de cereais no primeiro dia de serviço!!
Para plantar 5 alqueires ou 12 hectares eram necessários cinco dias de serviço de dois homens, dois animais, ou de 30 homens dia com plantadeira manual ou "catracas"(ou matracas). 
A partir de então diversos agricultores começaram a ver na modernização um meio de mudar a técnica de produção do cereal, começando inicialmente com plantadeiras a tração animal no início dos anos setenta, geralmente marca "Sans" e, depois no final dos anos setenta, usar a tração mecânica para produzir o cereal básico e importante para o município e região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário