quinta-feira, 7 de março de 2013

Itaí, 1971

Foto do final da bacia de acumulação da Usina de Jurumirim, nos anos setenta, mostrando que praticamente não há lavouras nesses bairros, entre eles o Santa Terezinha, que tinha alguma plantação de café, arroz e feijão para consumo.
Esta foto foi tirada quando assistíamos o bairro junto com voluntários holandeses e o município de Itaí não tinha engenheiro agrônomo.

Festa do Milho - 1969-1970

Salão de exposição observado pelo comerciante Benedito de Campos, Ditinho da Livraria.
Salão da Exposição da 10a.Festa do Milho realizada na Avenida Coronel João Quintino, após o Grupo Escolar Julieta Trindade Evangelista.
O salão que ficava no barracão do Venâncio Mendes foi cedido gratuitamente por ele para a realização deste evento. Era o barracão do depósito de milho, usado para estocagem deste cereal.

Isca para bicudo - 1980-1981

Manejo de pragas do algodoeiro.(1980/81)- Isca de Bicudo.



Isca de fehormônio para atração do bicudo (A.grandis) na ponta de uma vara e tomada de decisão para o controle do bicudo do algodoeiro nas lavouras de algodão do bairro Ribeirão Bonito. A lavoura de algodão plantada em solo latossol vemelho era de propriedade de Pedro "Mineiro" José de Almeida.

Assistência Técnica - Taquarituba, década de 1960

Assistência Técnica do engenheiro agronômo regional, da Casa da Lavoura  de Taquarituba, ao produtor de milho, Henrique Latanzio e seu meieiro Antonio Cavaleiro, no Bairro dos Campos ano agrícola 1967/68. 
Na ocasião se determinava o "stand' ou população da cultura para corrigir a baixa população, principal problema técnico aliado a falta de adubação nitrogenada em cobertura, aos 40-45 dias, e para os híbridos de milho.
Notar que era usado o jeep 58 da Casa da Lavoura para o trabalho de assistência técnica ao produtor de Taquarituba.