quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Fazenda Matão de Osvaldo Castellucci

Foto 1

Foto 2

As fotos 1 e 2, tiradas respectivamente em 2003 e 1963, são um registro histórico da Fazenda Matão de propriedade de Osvaldo Castellucci. Elas não foram tiradas de um mesmo ângulo mas podemos tomar como referência a chaminé do engenho de aguardente. 
É perceptível  a transformação ocorrida após quarenta anos. Na foto 2 destaca-se, à direita, o primeiro barracão da fazenda; no centro o engenho (destacando-se a chaminé) e  poucas árvores na paisagem. Além disso, podemos ver os primeiros "canteiros" de mudas de cana de açúcar plantados por Afonso Castelucci (pai do Osvaldo) vindo de Iracemápolis, S.P.. A Fazenda Matão foi adquirida da família Gomes. Afonso comprou a fazenda para instalar um engenho de aguardente, já que tinha tradição de plantío em Iracemápolis - Piracicaba. 
As máquinas do engenho foram adquiridas da indústria Dedini-Ometto, de Piracicaba, S.P..
 Na foto 1, à esquerda,  destaca-se  um açude que é usado para abastecer o engenho e à direita  a lagoa de depósito de efluentes. No centro vemos o pomar de frutas, árvores e a "colônia" de trabalhadores (desativada em 2010) da fazenda que não existiam na época da compra da Fazenda Matão.  

domingo, 11 de dezembro de 2011

Tomatal do sítio do Mário Abud

Vista da área de plantio de tomate
Tomatal rasteiro em solo latosol, no bairro do Lageado-Nunes(sítio do Mário Abud), em plena colheita, na margem da estrada que margeia o bairro Medonho. A cultura era de um produtor nissei e destinava-se à indústria.
 Embora fosse tomate para conserva e industrial, as primeiras colheitas do tomatal foram destinadas ao consumo "in natura", pois sua qualidade era boa. A colheita era feita em diversas "passadas".
O plantio de tomate no município de Taquarituba ocorreu quando o preço esteva compensador e o preço do feijão estava ruim. Na ocasião a produtividade foi elevada ficando ao redor de 35-40 toneladas por hectare.

Feijoeiro isolado

Planta de feijoeiro isolado de uma horta, sem doenças e pragas. A ideia era mostrar
   o alto potencial da variedade Cmpeão (1 ou 2). Década de 1990.
Uma planta isolada de feijoeiro, numa horta do (cultivar) variedade  de feijoeiro de mesa. É o Juriti, um novo cultivar comercial da variedade Carioca. Nota-se que ele é muito desenvolvido,  tem folhas grandes e vigorosas, além de vagens grandes. Plantio em uma horta, ao lado vemos a alfavaca.

Plantação de milho -década de 1980

Foto 1 Pedro Nunes e Audo Nissida (engenheiro agrônomo)
  Foto 2 Pedro Nunes e seus filhos iniciando a colheita manual
 de milho Agroceres (novo cultivar  híbrido)
Foto 3 Lavrador Pedro Nunes vistoriando a lavoura a ser colhida


Plantação de milho -década de 1980- Concurso de Produtividade de Milho Agroceres. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Fazenda Trigo - Grupo Ioshida

Identificação de praga e doenças na cultura do feijoeiro -Taquarituba, SP,  1987-1988

Identificação de pragas na cultura do algodoeiro

Bairro da Estiva, Taquarituba, SP, década de 1970

Aplicação de defensivos na cultura do feijoeiro - década de 1970

Aplicação de defensivos na cultura do feijoeiro com pulverizador manual.




Na época não era comum usar EPI (Equipamento de proteção individual) para a aplicação de defensivos apesar dos cursos promovidos pela Casa da Agricultura de Taquarituba sobre a proteção necessária para evitar intoxicação.

Cultura do feijoeiro - Itaberá, SP

Cultura do feijoeiro na Fazenda do Valentim Bosqueiro - Itaberá, SP, década de 1990



Da direita para a esquerda, Tino Guerra, José Norival e Valentim Bosqueiro.
Podemos observar o trator com a pulverizadeira usada no controle de pragas e doenças do feijoeiro.

Levantamento de praga e doença de feijoeiro

José Norival Augusti e Valentim Righetto Jr na Fazenda Santa Margarida - Bairro do Porto, 1986-1987

sábado, 3 de dezembro de 2011

Trabalhadores e carro de boi

Foto da zona rural de Itaí,  município vizinho de Taquarituba, para além do bairro Machula-Pinus, na estrada vicinal que chegava ao município de Paranapanema na Fazenda das Posses- Holambra. 1973/74 (?)

Vemos que naquela época ainda a região era pouco desenvolvida. A casa da foto seria uma "vendinha" que servia para abastecer de mercadorias essenciais os produtores e seus agregados, pois o local ficava a 22-25 km da sede da fazenda.

Trabalhador capinando a "roça" de milho, no bairro dos Campos,Taquarituba,S.P.



O trabalhador rural usava um planet  de três  "enxadinhas" para facilitar a carpa e "chegar" terra nos pés de milho recém-nascidos e cobrir as  "ervas daninhas"  para evitar a carpa manual (década de oitenta). 
No lado direito vê-se na linha do milho limpo de ervas  o trabalho do "planet"  - Bairro dos Campos, na lavoura de milho de Miguel Pulz.

Teste de arrancadeira de feijoeiro - Bairro Queimadão, Taquarituba, SP

Foto 1 - Teste de arrancadeira de feijoeiro realizado no bairro Queimadão, a 6 km de Taquarituba (da sede) na estrada Taquarituba-Itaí. Está  arrancadeira foi fabricada em Artur Nogueira-Mogi Mirim, por parentes do produtor. 

Foto 2 - Na  foto Beno Mendes mostra a ação da máquina para um vizinho. O produtor de chapéu que está olhando para a máquina fotográfica é o filho do produtor.


Na Foto 1 podemos ver o teste de arrancadeira de feijão-safra 1984/85  na propriedade Queimadão. O produtor-proprietário Breno Mendes - com o braço levantado está olhando e apontando para a máquina de arrancar feijão e o trator. 
Esta arrancadeira foi um protótipo que teve bom funcioamento, mas foi substituído por máquinas "americanas"e outras produzidas no noroeste de São Paulo para arrancar amendoin e adaptadas para o feijoeiro.
Na Foto 2, o filho do produtor verifica se houve "debulha"das vagens, após o arrancamento pela  "máquina" após o serviço de arranquio e vê-se no trator a arrancadeira com a "aba" para deslocar os  "pés" do feijoeiro para não ocorrer a "debulha"das vagens".
Carregando a produção de soja da Fazenda Serrinha de Renato Angeli , safra de 1971-1972


Esta imagem é muito interessante para a nossa família porque estão minhas duas filhas em cima do caminhão.
Mishio Aoki e eu nos associamos para produzir essta safra de 480 ha. de soja na fazenda Serrinha do Renato Angeli.

Fandango, artista taquaritubense

Fandango, Sem título, s/d



Esta imagem foi cedida pelo Angelo Martini, filho do artista Fandango.Agradeço a ele pela atenção e por ter valorizado a memória de  Taquarituba e de seus moradores.

Ângelo Martini, conhecido como Fandango,  nascido em Avaré, taquaritubense por adoção, tinha como profissão a pintura automobilística. Começou a pintar quadros de natureza morta em 1963. Pintou cento e cinqüenta quadros que foram expostos em diversas cidades da região e vendidos para colecionadores. Seus quadros foram doados a instituições de Taquarituba assim como dados de presente a amigos.