domingo, 28 de agosto de 2011

Microbacia Ribeirão do Lageado, bairro Lageado-Pico em Taquarituba,SP

Trator de esteira da Codasp, e ao seu lado o engenheiro da Codasp e agricultores e técnicos da microbacia em construção, em Dia de Campo, da Microbacia Hidrografica

Agricultores, técnicos agrícolas e engenheiro agronômo da Codasp e da prefeitura municipal (no centro).



O técnico agrícola da Casa da Agricultura de Taquarituba -  Antonio Luis de Paula - verificando as dimensões da bacia de captação.


Máquina retroescavadeira da Codasp, com seu operador, aterrando uma vossoroca, devido a existência de terraço em desnível, nos altos do bairro do Pico. Podemos ver ao fundo, no segundo plano, a várzea do bairro.


As fotos, dos anos de 1986/7, registram a atividade dos trabalhadores que operam as máquinas da Codasp (Companhia de Desenvolvimento Agricolade São Paulo) para construir as bacias de captação da estrada que vai da rodovia estadual (Taquarituba-Coronel Macedo) até o limite da microbacia no bairro dos Leites.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Ensaio Regional de feijoeiro

Ensaio Regional de Feijoeiro, ano agrícola (95/96)



Na foto vemos o técnico agrícola Edson Campos de R. Pedroso mostrando a altura de cultivar (variedade) do feijoeiro de maior tamanho. No Ensaio Regional  da IAC-CATI-CA. os cultivares em número de quinze foram plantados em canteiros numerados, com cinco repetições e 4 linhas repetidas cada cultivar de 5 m. colhidos, pesados, determinadas as umidades e equalizadas a 15% e a 13% de umidade e remetidos os resultados a Secção de leguminosas (feijoeiro) do Instituto Agonômico de Campinas. O solo latosol vermelho escuro deste ensaio foi analisado, corrigida a acidez, adubado e realizado o controle de pragas e doenças igual ao do agricultor-colaborador Pedro de Almeida. Notar as marcas/números dos cultivares em frente do cultivar(variedade).

Dia de campo Fazenda Barreiro - Ribeirão Bonito - Taquarituba, SP

Foto1

Foto 2 -Dia de campo de Feijão - década de noventa.


Dia de Campo na Fazenda Barreiro-Ribeirão Bonito pertencente a Lauro Garbelotto e filhos. A fazenda foi arrendada para o Grupo Ioshida e o dia de campo contou com a participação do Jairo (está com boné branco), pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas sediado em Capão Bonito  Jairo. Ao seu lado está um produtor de feijão e engenheiros agronômos do municipio (Valentim Righeto, Afonso, e eu)  e produtores do feijoeiro.
Na foto 2 podemos observar à esquerda feijoeiro em granação e à direita o feijoeiro em fase de colheita.



Microbacia hidrográfica do Ribeirão do Lageado


Microbacia Hidrográfica do Ribeirão do Lageado I- Bairros do Lageado e Pico.

Na foto vê-se o técnico agrícola Edson Ramos de C. Pedroso vistoriando a bacia de captação que o trator de esteira (da CAIC- de Avaré-Botucatu) estava construindo após a marcação e dimensionamento na entrada do bairro do Pico. Esta bacia de captação ou microbacia foi uma das quinze feitas só na estrada que levava do asfalto da estrada Taquarituba-Coronel Macedo até a divisa da Microbacia na Fazenda dos Barrisson-Pavan. Ao fundo vê-se vários terraços vermelhos para conter a erosão na microbacia.


Plantio Direto de Milho - década de 1980

Foto 1





Nas fotos 1 e 2 está o registro da observação feita por mim de uma área de Plantio Direto de milho após a colheita do trigo em solo Leve e Tr. de alto teor de argila da Fazenda Trigo do Grupo Ioshida. Taquarituba, SP.





Foto 2 















 
 Na década de oitenta foi  reintroduzido o Plantio Direto (PD) em Taquarituba após vários insucessos dessa nova técnica (na época). Isto ocorreu devido ao açodamento e não terem sido respeitadas as normas básicas da técnica anglonorteamericana usadas desde a década anterior no Rio Grande do Sul.
Nesta época falava-se que os solos pesados tipo Latosol(terra roxa e latosol vermelho) não eram adequados ao PD. Entretanto, com a vinda do Grupo Ioshida para o município, e do seu técnico Airton Ariquita, foi feita nova introdução do PD com êxito. 

sábado, 13 de agosto de 2011

Lembranças e agradecimentos a Rodolfo Roosli

Rodolfo Roosli (agricultor, fazendeiro em Itaí, gerente da Sandoz.s.a Agroquimico)  me posssibitou trabalhar na Sandoz, numa licença do estado em assessoria de vendas, de defensivos agrícolas, no estado do Paraná, filial Londrina e no noroeste de S.Paulo, na filial Araçatuba. Lá fiz muitos contatos com colegas, pude atender agricultores que trabalhavam com diversas culturas agrícolas e visitar várias cooperativas do Paraná e muuitas firmas de defensivos agrícolas e agricultores de São Paulo e Paraná.






Agradecimento aos holandeses e seus descendentes

Gostaria de tornar pública minha admiração por inúmeros profissionais e agricultores que atuaram na região de Taquarituba. Entre eles cito os holandeses da Holambra II que colaboraram e participaram do projeto de fruticultura de clima subtropical (maçã, nectarina, ameixas, etc) e das excursões técnicas à Jundiai, Campinas, Itupeva e Atibaia, produziram e cederam mudas para os agricultores de Taquarituba.

Destacamos o incentivo e persistência de agricultores da cooperativa: Jan de Quay (filho de ex-primeiro ministro da Holanda), Theodorus Kivtboth e senhora (deu curso de produção caseira de doces em Taquarituba na sede do Rotari Clube) e vários outros "holambreses" de Paranapanema.




Agradecimentos aos engenheiros agronômos do Posto de sementes de Avaré

O posto de Sementes de Avaré (SP)teve como colaboradores no serviço de inspeção e orientação dos campos de cooperação, inclusive muitos campos de sementes plantados em Taquarituba (algodão, feijão, milho e outras) os engenheiros agronômos: Rodolfo Keller Jr.,Wilson Antonangelo, Eliseo A. Mello, Valter Morato, e Vilson Del Vechia. 

O Posto de sementes de Avaré sempre supriu as sementes cetificadas necessárias à demanda da Casa da Agricultura de Taquarituba. Eram as sementes: de algodão, milho, feijão das águas e das secas, girassol, adubos verdes, e mudas de fruteiras como laranjeiras, nectarinas, pessegueiros, amoreiras, limoeiros, ameixeiras, para venda livre, .
 
O engenheiro agronônomo  Mario Amorim foi chefe do Posto  de Sementes  de Avaré de 1964 ou 1965  a 1969 quando tomou posse do engenheiro agronômo Rodolfo Keller Jr (1969/70). Keller se aposentou em 1997/98 e assumiu então o engenheiro agronômoValter Morato por dois anos. Depois de dois anos,  assumiu Vilson del Vechia.