sábado, 23 de abril de 2011

A segunda revendedora de Taquarituba: Souza Adubos

A segunda firma, ou melhor, o segundo vendedor de adubos do município realmente foi o agricultor arturnogueirense: José Fernandes de Souza. Ele vendia adubos a partir de seu sítio, com bicicleta, para seus vizinhos recém conhecidos do município.

Logo após José Fernandes de Souza instalar-se em Taquarituba para plantar algodão, num sítio no bairro Lageado, começou a vender adubo misturado de velho conhecido de Limeira pertencente a firma da família Drago. Esta firma misturava adubos e usava, além dos minerais simples, bastante matéria orgânica como torta de mamona, farinha de ossos, na sua composição,

Após um ano morando na estrada que demandava à Taguaí mudou-se para a cidade de Taquarituba, em frente a Incospel, e abriu sua empresa Souza Adubos para vender além do adubo, calcário, sementes e defensivos agrícolas.

Após dois anos em 1967/68, Nelson Giraldin, seu compatriota de Artur Nogueira, passou a vender o mesmo Adubo Drago, forçando-o a mudar e vender os Adubos Serrana-Quimbrasil, bem como defensivos.

Nesta época, passou a vender também sementes de milho da Agroceres, da Cargill, e outras, para ampliar seu comércio. Além disso, passou a vender adubo baseado na análise de solo feita pela Casa da Agricultura, que remetia as amostras para o Instituto Agronômico de Campinas, para poder vender corretamente calcário/adubo, de Limeira/Piracicaba/Rio Claro.

Então Zé Fernandes, como era conhecido na sua firma, convidou e trouxe vários amigos de Artur Noqueira, de Cosmópolis, Paulínia, de Limeira como as famílias Pulz, Caron, Albuquerque, Barbiere, Defaveri, Faveri, Sia, Cia. Eles foram atraídos pela alta produtividade do algodoeiro que era divulgada pelo "Zé Fernandes" nas suas visitas aos amigos.

Durante sua vida comprou mais dois sítios pequenos para seus filhos plantarem algodão, de 15 há a 24 ha.

Passando a fase dos preços bons do algodão e após a entrada da praga do bicudo, a partir do final dos anos setenta, seu filho Euclides Viscensoti de Souza passou a plantar feijoeiro, em área irrigada, numa área maior no bairro Queimadão, de 72,0 ha. e comprou junto com ele novo sitio.

Durante um certo período Neusa, filha de do Zé Fernandes, participou ativamente como gerente do negócio do pai até adoecer.

Depois, seu outro  filho, "Nene", continuou a vender insumos agrícolas, sementes e adubos de várias marcas, além de materiais de irrigação até a atualidade. Teve sempre os velhos clientes fiéis devido a honestidade de suas vendas.

Foi realmente o segundo comerciante/lavrador a vender insumos agrícolas no município que teve êxito, pois vendia baseado em recomendações técnicas de engenheiros agrônomos, alem de sua experiência como agricultor.