sexta-feira, 15 de outubro de 2010

LEVANTAMENTO DAS UNIDADES PRODUTIVAS AGRICOLAS (LUPA) 2007/8: Uma aproximação analítica

O levantamento das unidades produtivas agrícolas de São Paulo, realizada a partir do ano 1999-2000 pelos técnicos e engenheiros agrônomos das Casas da Agricultura fez parte dum projeto da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral e o Instituto de Economia Agrícola de São Paulo com objetivo de se conhecer a realidade agropecuária do estado, como um todo, de uma maneira direta e objetiva.

Em levantamento de 1999/2000 foram aplicados questionários com perguntas aos proprietários ou seus representantes, após motivação, abrangendo todas as atividades das propriedades ou unidades produtivas agrícolas, coletadas, levadas aos escritórios regionais, e que por sua vez encaminhava à central de recebimento para digitação e de análise dos dados.

Como a agricultura é dinâmica e as unidades produtivas agrícolas mudam constantemente de proprietários e de exploração agro-pecuária a cada dois anos vinte por cento dos levantamentos são refeitos.

O primeiro levantamento teve muitas imperfeições sendo o mais evidente (pelo menos na nossa região) devia-se a inexistência de GPS, que foi essencial para evitar o levantamento duplicado. No nosso município o levantamento inicial foi referenciado através do uso das cartas geográficas do IBGE, que carregou os erros normais de localização e sem o “referenciamento” geográfico com o GPS(global position systems).

Apesar de todas estas dificuldades o levantamento foi realizado pelos técnicos da Casa da agricultura, com a assessoria técnica do escritório de Desenvolvimento Agrícola de Avaré, que mandou vários técnicos da região para terminar o Projeto. Esta ajuda foi boa mas ao mesmo tempo ocasionou duplicação de unidades produtivas e entrada em municípios vizinhos agrícolas devido ao desconhecimento das divisas do município. Por isto que as vezes nos levantamento novos algumas propriedades deixam de existir.

No LUPA de 2007/8 foram levantados os dados que são muito diferentes dos anteriores, denotando uma mudança dinâmica da agricultura e pecuária local, não só no número de proprietários mas também na exploração agropecuária. Notou-se também que a área levantada total de 418,043Km.2 é menor que a área física do município que segundo o IBGE é de 448,1 km quadrados,(452,0km2 do Seade), mostrando que há uma indefinição dos limites do município, e talvez desconhecimento desses limites pelo funcionário que fez o cadastro ou de suas áreas que podem ter sido super estimadas pelos seus proprietários.

seguem alguns dados estatísticos para posterior revisão do levantamento 2007/2008, com alguns dados principais, e que são periodicamente revisados pelos funcionários técnicos e administrativos das Casa da Agricultura dos municípios:

DISTÂNCIA das propriedades da sede do município
Área total : 41.804,3 hectares com 1.021 unidades produtivas agrícolas.
Quadro Geral da produção: ITENS ÁREAS
AREA TOTAL - Número de Unidades produtivas agrícolas (UPAS)

Distância da  sede do município: de 0,1Km. a 34 Km. 

Área total do município levantada................................................41.804,30 há.

Área de cultura perene... 108 UPAS....com área total...................1.317,20 há.

Área de culturas temporárias 705 UPAS... ...................................20.939,80 há.

Área com pastagens............. 747 UPAS.......................................14.191,50 há.

Área de reflorestamento ...... 154UPAS....................................... 314,20 há.

Área de vegetação natural.... 729UPAS........................................ 3.072,10 há

Área de brejos e várzeas..... 409 UPAS..........................................1.192,20 há.

Área em descanso.................214 UPAS.......................................... 79,50 há.

Área complementar...............995UPAS............................................ 697,80 há.

As áreas foram somadas de acordo com os tipos de ocupação. Nota-se que a área levantada é maior que a área física, devido a alguma diferença dos limites do município ou mesmo porque essa área pode ser da represa de Jurumirim que limita o município em sua parte no-noroeste e devido a  falta do GPS e do conhecimento de divisas que também pode ter alterado estes limites e anexado algumas propriedades ao município de Taquarituba.

A estratificação das áreas das unidades produtivas agrícolas mostra que a distribuição de terras produtivas no município é muito grande, como se pode ver na relação abaixo transcrita do LUPA (levantamento de unidades produtivas agrícolas). Entretanto, não são necessariamente propriedades agrícolas pertecentes a proprietários, pois podem ser unidades agrícolas produtivas de terras que foram  arrendadas, ou produção a "meia " ou a "terça" 

Esta divisão pode ser explicada pela origem dos colonizadores, pelo tipo de exploração, que ao não produzir o suficiente para uma vivência promovia a divisão com estranhos e entre os familiares (como ocorreu em Caxias do Sul, entre as famílias de viticultores, no século XX), promovendo uma distribuição agrária, quase que socialmente ideal das terras em Taquarituba.

A distribuição de propriedades e de produtores do município pode ser avaliada por esta relação, resultado do LUPA (Levantamento da Unidade Produtiva Agrícola) de 2007/8, e que pode ter se modificado muito pouco nos dois últimos anos.

Estatísticas agrícolas do município de Taquarituba, S.P. Ano agrícola de 2007/8.

Detalhes do levantamento LUPA do município:

Distância a sede do município das UPAS: das 1021 propriedades levantadas as distâncias mínimas foram de 0,1km, distâncias médias de8,5 km e distância máxima 34,0 quilômetros, da sede.


Upas com 0 a 1 há. 13 unid. 0,2 ha 0,4 há. 0,9 há. 5,50 há.

Upas com 1 a 2 há. 23 unid. 1,2 há. 1,7 há. 2,0 há. 38,40 há.

Upas com 2 a 5 há. 123 unid. 2,1 há. 3,7 ha 5,0 há. 451,60 há.

Upas com 5 a10 há. 172 unid. 5,2 há. 7,5 há. 9,9 há. 1.260,00 há.

Upas com 10 a 20 ha. 218 unid. 10,3 há. 14,9 há. 20,0 há. 3.249,40 há.

Upas com 20 a 50 há. 273 unid. 20,2 há. 31,6 há. 49,2 há. 8.637.50 há.

Upas com 50 a 100 116 unid. 50,8 há, 72,5 há. 99,2 ha. 8.415,50 há.

Upas com 100 a 200 47 unid. 100,6 há. 137,1 há. 193,6 há. 6.445,80 há.

Upas com 200 a 500 33 unid. 204,5 há. 324,1 há. 485,2 há. 10.695,90 ha.

Upas com 500 a 1000 2 unid. 609,7 há. 664,9 há. 720,0 há. 1.329,70 há.

Upas com + 1000 ha 1 unid. 1.239,0 há. 1.239,0 ha 1.239,0há. 1.239,00 há.

Fam.trabal. Totais: 953 Mini/ 1,0 Media 1,9 Maxi 10 Totais 1.853 pessoas

Trab. Perm. Totais: 156 Min/ 1,0 Média3,1 maxi 91 Totais 509 pessoas

A exploração de animais em 2007/8 teve produção de bovinos de corte, misto e de leite, asininos, muares,caprinos, equinocultura, ovinocultura, piscicultura (tanques), sericicultura e suinocultura. A mais expressiva de todas era a suinocultura com uma população de 7.571 suinos.

A produção animal que nunca foi significativa no município, foi levantada e mostrou os seguintes criações e suas características: em 2007/8

ITEM UNIDADE NUMERO UPAS TOTAL

Bovino de corte cabeças 211 12.338

Bovino de leite cabeças 229 3.26 3

Bovinos mistos cabeças 327 6.776

Apicultura colméias 2 40?

Asininos e muares cabeças 42 62

Avestruz e emas cabeças 1 8

Avicultura de corte cabeças 63 6.518

Avicultura ornamental cabeças 16 518

Avicultura ovos cabeças 192 6.018

TOTAL

Caprinos cabeças 11 82

Equinocultura cabeças 235 497

Ovinocultura cabeças 40 941

Psicultura-área tanque m.quadrados 13 40.806

Sericicultura gramas /ano 1 6g.

Suinocultura cabeças 173 7.571

Outras explorações Numero de upas.

Olaria unidade 4 5???

Packing house unidade 1 ???

Pocilga unidade 193 217

Secador de grãos unidade 20 20

Barracão/galpão unid. 346 390

Barracão/bicho seda unid. 2 2

Silo para grãos tonelada 10 14.771

Silo para silagem tonelada 25 13.615

Terreiro Metros quadrados 64 24.211

Usina/destilaria Unid. 1 1(paralisada)

Olaria Unid. 6

Açude/represa Unid. 465 727

Armazém para grãos sacas 177 132.251

Máquina de beneficio Unid. 8 8

Fábrica de farinha Unid. 8 8

Estufa plast. m2. 9 7.804

Deposito/tulha Unid. 133 147

Fábrica de farinha Unid. 1 1

Barracão /granja/avic. Unid. 24 28

As unidades de construções e os equipamentos foram anotados sem levar em conta seu estado de conservação, ano de fabricação ou de construção e seus valores; consta inclusive a relação de 5 computadores usados para o controle das atividades agrícolas.

As máquinas e equipamentos agrícolas mais importantes na atividade agropecuária eram:  4 colheitadeiras de cana, 53 Colheitadeiras acopladas ao trator, 21 automotrizes, 23 irrigações auto propelidas, 62 irrigações convencionais, 46 irrigação pivot central, 11 irrigação de micro aspersão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário