sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Doença do milho na década de 1970

Entre final de 1971 e início de 1972, no Estado de São Paulo e, portanto, também em Taquarituba,S.P, ocorreu um ataque de uma doença do milho (Helmintosporium maydis, var. turcicum) conhecida como "requeima do milho". Esta doença ainda não tinha ocorrido no Estado de São Paulo e no país e as variedades brasileiras não tinham resistência à raça  T (Turcicum) deste fungo. 
Foi nesse contexto que a Secretaria de Agricultura de S.P. suspendeu a venda de sementes de híbridos e as Sementes Avaré, pertencente a Dante Tezza, vendeu um pequeno estoque de sementes resistentes que ainda tinha em seu poder. Entretanto, a Secretaria de Agricultura de S.P. vendeu algumas variedades não híbridas, pois o Instituto Agronômico somente produzia as sementes básicas (não tinham resistência) que eram todas suceptíveis a esta doença.
As firmas de sementes de milho, Agroceres e depois a Cargil, produziram depois de dois anos sementes resistentes à "requeima da raça T" do fungo dominando o mercado de semestes de milhos híbridos. Foi assim que a Secretaria da Agricultura perdeu o "monopólio" da venda de semente de MILHO do mercado em São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário