quarta-feira, 13 de maio de 2009

Febre Amarela e malária assolam Taquarituba

De 1936 até 1940, houve um surto de febre amarela e todo o dia acontecia dois a três enterros e os cadáveres eram levados em redes de dormir ao cemitério onde fica a Cadeia Pública. Naquele tempo Taquarituba era uma pequena cidade e não tinha assistência médica na cidade. O surto epidêmico diminuiu e acabou com as mudanças climáticas.

Na década de quarenta (1942) vieram de Piraju para Taquarituba os portugueses e italianos: Manoel Alher, Giácomo Clivatti, Otávio Clivatti e Hilário Clivatti. Depois vieram Zanetti e outros. Após a 2ª Guerra Mundial houve uma epidemia de malária e muitos desses imigrantes fugiram em carroças para Londrina e São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário