quarta-feira, 25 de março de 2009

Taquarituba: anotações sobre a administração pública de 1956 a 1963

Após uma acirrada disputa eleitoral em 1955 foi eleito para o período de 1/1/56 a 31/12/59 novamente Antônio da Silva Rodrigues (o “Ico” do PSP) tendo como vice prefeito o comerciante e produtor rural Valdomiro Rodrigues (PSP) . Assumiram a prefeitura da cidade com apenas três ruas principais: a Rua Ataliba Leonél, a 13 de Maio e a Floriano Peixoto, que atravessavam a cidade de norte a sul, cortadas por ruas transversais, com quatro quarteirões de largura.
Em 1956, na décima legislatura houve mudança da diretoria da câmara municipal . Foram eleitos como presidente o vereador João Bortóti (PSP), vice-presidente Joaquim de Almeida (PSP), 1º Secretário Gabriel de Oliveira Bueno e 2º vice secretário Miguel Torres dos Santos.
Em 1957, na mesa 2 da 10ª legislatura foi presidente João Bortóti, Vice pres. Lourenço Custódio, 1º. Secretário Gabriel de Oliveira Bueno, 2º secretário João Perroni Gabriel. Os demais vereadores foram: Agostinho Benini, Evangelista Gabriel, Joaquim de Almeida, José Picasso Chamorro, Cyro de Campos, João Sérgio de Oliveira e Acyr de Almeida Lima.
Em 1958 a mesa 3 foi constituída por presidente José Picasso Chamorro, vice presidente: Lourenço Custódio, 1º. Secretário Miguel Torres dos Santos, 2º. Secretário: João Perroni Gabriél.
Em 1959, ainda na administração de Antonio da Silva Rodrigues, a mesa 4 ficou constituída por: Presidente João Bortóti, vice presidente: Acyr de Almeida Lima, 1º Secretário: Miguel Torres dos Santos, 2º. Secretário: Agostinho Benini.
O prefeito para dar impulso à cidade e fazê-la crescer desapropriou uma área de terras com pastagens degradadas: uma “quiçaça,” como falavam os taquaritubenses. Mandou um projeto de lei à Câmara no qual declarava esta área como de “utilidade pública” e doava os terrenos a todos os cidadãos que construíssem moradias não comerciais em um ano nesta área desapropriada como residencial.
Joaquim Gabriel (”Quinzinho”) filho do proprietário da área - Eugenio Gabriel - tentou evitar abertura das ruas desapropriadas, mas o maquinista “Brino” não o respeitou, seguindo as instruções do prefeito Antônio Rodrigues que abriu as novas ruas que deram nova dimensão à cidade.
Na Avenida 9 de julho, que depois tomou o número 485, a Prefeitura Municipal reservou uma área para o almoxarifado das máquinas e equipamentos da Prefeitura e no ano seguinte foi reservado e doado um terreno pela Prefeitura ao Centro Espírita (depois denominada Casa do Espírita) e ao Albergue Noturno que foi construído e gerenciado pela Sociedade Espírita.
Na segunda gestão do Antônio da Silva Rodrigues(PSP) que terminou em 1959, dois funcionários (que ninguém ficou sabendo quem eram) da Prefeitura Municipal ligados à contabilidade queimaram os livros de fiscais. Causaram um grande trauma para os moradores do município. Nessa gestão era tesoureiro geral da Prefeitura o taquaritubense Benedito Vaz de Campos.
Os vereadores registrados além dos diretores da Câmara e anotados foram: Dácio José Vaz Gabriel, Davi Antunes da Silva(UDN), Pedro José de Almeida, Carlos Bueno, Pedro Fogaça, Valdomiro Rodrigues (PTN); Antônio Pereira do José de Almeida , Domingos Garbelotti (PSP) e Miguel Torres(PSP).
A propósito, nessa gestão o vereador Miguel Torres apresentou um projeto de lei para que a Prefeitura Municipal fechasse com um muro de taboas a cidade inteira para fazer um quebra ventos e evitar a poeira vermelha que atazanava as donas de casa, pois sujava as roupas estendidas nos varais. Esse projeto não foi aprovado.
Na época das eleições, quando era governador do estado Carvalho Pinto (1959-1963), formou-se um diretório do Partido PDC com vinte membros, sendo (11)onze membros do PDC do Nicanor Camargo e nove(9)membros do PSP do candidato Antônio Rodrigues. Reuniram, escolheram e registraram a candidatura Nicanor Camargo a prefeito pelo PDC.
Joaquim Vaz Gabriel fez nova convocação para a convenção do PDC, sendo escolhido Nicanor Camargo, candidato pelo Partido Democrata Cristão. O juiz não registrou a candidatura de Nicanor pelo PDC fazendo com que a turma do Antonio da Silva Rodrigues registrasse a sua pelo PDC , depois perdendo-a e candidatando-se pelo PSP do político Ademar de Barros.
No último momento foi emprestado um carro para Joaquim Vaz Gabriel, filho do “Gote” Pico, interpor recurso junto ao Tribunal Regional Eleitoral, em São Paulo. Encaminhado o recurso três dias antes da eleição a demanda foi ganha pelo candidato Nicanor Camargo e seu vice Josias Gomes que se inscreveram no PTN de Jânio-Carvalho Pinto, obtendo ganho de causa. Disputaram as eleições com a coligação Partido Democrata Cristão-Partido Trabalhista Nacional e ganharam. Depois festejaram com fogos de artifício pela cidade inteira.
O “slogan” da campanha do Nicanor Camargo do PTN era “Segure este cabrito” devido ao que falavam os opositores, de que muito dinheiro corria na administração e era desperdiçado pela mesma. Do lado contrário, o PSP atacava o Nicanor Camargo(PDC-PTN-UDN) com o “slogan” veiculado por alto falantes adaptados em carros que circulavam pela cidade: Nicanor, foi comerciante, e Nada, foi guarda rodoviário e Nada, se for prefeito será Nada, inteira.
Depois de acirrada disputa eleitoral em 1959 foi eleito como prefeito Nicanor Camargo(PTN) e vice Avelino Roberto de Almeida(PTN) ligados ao “Janismo”, que governou a cidade 1º de janeiro de 1960 a 31 de dezembro de 1963. O candidato derrotado foi Antônio da Silva Rodrigues(PSP).
Nicanor Camargo da coligação venceu, pois estava ligado ao Janismo(PTN-PDC-UDN) da vassoura com grande prestígio político-eleitoral naquele momento.
Conta-se que após a eleição houve um desfile de uma vaca malhada de preto e branco, puxada por Luiz “Preto”, cunhado do vereador Indalécio Gomes, pelas principais ruas da cidade e em volta da igreja de São Roque com um cartaz: “Acabou a mansinha”, numa referência a antiga administração do Antônio Rodrigues e que foi saudada pela oposição ao Prefeito com palmas pelos cidadãos presentes nas calçadas.
Na décima primeira legislatura, na administração Nicanor Camargo(60/63), o vereador José Picasso Chamorro (PTN) foi presidente da Câmara e Pedro Ferreira Fogaça seu vice-presidente, mais os vereadores: 1º secretário Carlos Francisco Bueno, 2º. Secretário Gabriel dos Santos; Antônio Rolim dos Santos (Niquinho Rolim) (PSP), Antônio Pereira (PSP), Carlos Francisco Bueno (PTN), Domingos Garbelotti (PSP), Gabriel dos Santos, Joaquim Vaz Gabriel (PTN), José de Almeida(Zé Mineiro)(PSP), José Picasso Chamorro (PTN), Pedro Ferreira Fogaça (PTN), Waldomiro Rodrigues (PTN).
Na gestão de Nicanor Camargo(PTN)(1/1/60 a 31/12/63) foram construídos na cidade dentro do “Plano de Ação” estadual de Carvalho Pinto as obras públicas financiadas pelo IAMSPE em convênio com o Governo do Estado: Casa da Lavoura (da Agricultura), Cadeia e Delegacia de Polícia, Ginásio e Escola Julieta Trindade Evangelista, “Centro de Saúde e Puericultura”, instalação do Serviço Municipal de Águas e Esgotos em 1962 e do Abatedouro Municipal. A Prefeitura calçou com lajotas o quarteirão em volta da Igreja de São Roque com recursos próprios e o empenho do professor futuro catedrático da USP: José Barco. As calçadas das ruas principais foram feitas com pedras portuguesas de basalto pela família Vilanova de Piracicaba, SP. Em frente à Igreja Sao Roque está anotado 1963 que foi o ano de sua construção e do jardim .
Depois de eleitos Nicanor Camargo (PTN) e o presidente da Câmara, José Picasso Chamorro (PTN) foram a São Paulo comprar um caminhão tanque para irrigar as ruas empoeiradas.
Na décima segunda legislatura foi presidente Joaquim Vaz Gabriel (PSB) e mais os vereadores; Acyr de Almeida Lima (PSP), Alfredo Costa Braz(Nenzinho)(PSP), Dácio Vaz Gabriel, prof. Darcy Gomes, David Antunes da Silva(UDN), José Domingos Pereira, Josué Penna Sobrinho(filho do 1º.prefeito da cidade), Jurandyr do Espírito Santo Amaral, Paulo Gonçalves, Carlos Bueno, Sérgio Siciliano, Jayme Pereira, Adelino Plens, e Valdomiro Rodrigues (UDN). O servente da Câmara nesta época era Roberto Amaral.
Nesse ano o vereador Joaquim Vaz Gabriel (PSB) lutou pela instalação da rede semi-automática de telefones vendendo mais de cem telefones, que junto com o vereador José Picasso Chamorro(PTN) de porta em porta usando duas bicicletas. Percorreu a cidade inteira e venderam telefones suficientes para instalar a Central Telefônica com 180 telefones, na Rua Campos Salles 462, em prédio da Prefeitura.
Na época, entre 1963 e 1964, foi reformada e retificada pela Uselpa a estrada até Itaí e Avaré, devido a construção e represamento da Usina Hidroelétrica de Jurumirim. Enquanto não foi construída a estrada nova foi usada a que passava por Tejupá-Piraju, via Raposo Tavares ou pelos municípios de Fartura-Piraju, via Raposo Tavares.
Em 1963 foi inaugurado o Serviço de Encomendas da Estrada de Ferro Sorocabana, na Rua Ataliba Leonel 810, ao lado do “Lady Laura Hotel”, que funcionou até 1967/68. Nesse mesmo ano, foi criado o serviço de retransmissão da TV 4, no morro do Barreiro-Aleixo, montado pela Casa Gomes e pelo técnico de TV; Salvador Domenico Malagó, e no mesmo ano foi fundado o Lions Clube de Taquarituba (extinto em 1980), da divisão do Lions Clube de Botucatu, L12-2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário