quinta-feira, 17 de abril de 2008

Agricultura em Taquarituba entre as décadas de 1940 e 1960 - Parte 1

A agricultura é minha paixão e sempre foi e é a principal atividade econômica de Taquarituba.
Entre as décadas de 1940 e 1960 o município foi grande produtor de milho aliado a produção de suínos tipo “banha” que eram tratados com a produção desse cereal e também com a sobra da colheita manual que ficava nas áreas de plantio. Como atividade subsidiária o município chegou a ter um rebanho de dez mil suínos nos anos sessenta, com três compradores-atacadistas (um deles foi o ex-prefeito municipal Luiz Ferreira Neto).
A região onde estava localizado o município de Taquarituba era produtora desse tipo de porco e na década de sessenta no município vizinho -Fartura - alguns produtores tentaram industrializar os suínos e construíram um abatedouro de porcos que funcionou por pouco tempo por dificuldade de gerenciamento e capital. Isso mostrava que a região dependia da produção de milho e suínos.
Interessante notar que antes da década de 1950, o município e região (Paranapanema, Avaré, Cerqueira César, Fartura, Itaí, etc) tiveram grandes áreas de plantio de algodão, cultura que foi introduzida pelos imigrantes japoneses.
Avaré, nessa época a maior cidade da região com estrada de ferro, tinha quatro máquinas de beneficiar algodão, movimentando e atraindo todo o comércio regional da fibra, com transporte feito em lombo de burros e carroções.
A cultura de algodão desapareceu no final dos anos cinquenta devido ao ataque de pulgões, que disseminavam o mosaico e devido ao método de controle difícil e perigoso utilizado na época(usava-se arseniáto de chumbo e verde Paris). Desaparecendo a cultura do algodão, ampliou-se o cultivo do milho e junto com ele a criação de porcos, que foram as duas principais atividades agrícolas das décadas seguintes como já mencionado. Também se desenvolveu, nessa época, como atividade subsidiária o plantio de feijão das secas(fevereiro) nas entrelinhas do milho.
A modernização da agricultura em Taquarituba, entendemos, começou com a instalação de um depósito de sementes de milho híbrido em 1950 (na Praça São Roque, número 180, esquina com a Rua Campos Salles) a pedido do prefeito municipal (Antônio da Silva Rodrigues), ao Chefe do Posto de Sementes de Avaré e chefe da Extensão Agrícola (eng. agro. Ovídio Bastilio Tardivo) e ao delegado agrícola (Charles Michel Hawthorne).
José Gonçalves, nesse ano, foi nomeado como encarregado de vendas do Posto pelo prefeito de Taquarituba para vender as sementes de milho que eram as mais procuradas e usadas na região. Depois a chefia estadual de Extensão Rural o nomeou como escriturário.
Nos anos sessenta foi nomeado como chefe do Posto de Sementes o engenheiro agrônomo Mário Amorim, que continuou fornecendo sementes de várias espécies, de algodão a leguminosas forrageiras, para Taquarituba e municípios vizinhos na época.
No final da década de 60 com a transferência de Mário Amorim para Sorocaba assumiu o Posto de Sementes o engenheiro agrônomo Rodolfo Keller.
Ainda há muito o que relatar...e nas próximas postagens continuarei a tratar da agricultura no município de Taquarituba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário